Blog

Palestra: Branding e os Designers

04/05/2012

Demorei (por que a vida tá beeeeem corrida!), mas abaixo você pode conferir a apresentação da minha palestra sobre Branding e o papel do Designer na Gestão de Marcas:

The Future of Website

20/10/2011

O website pode ser muitas coisas, desde um ambiente virtual de relacionamento a uma plataforma de interação on demand com seu público. Aplicativos, integração com outros canais, atualizações, informações, novidades.

Mas tem muita gente tratando o site como um business card virtual, ou quando muito, uma presença digital da sua loja ou sede. E isso simplesmente não é suficiente. Um vídeo interessante, com quatro especialistas de New York falando sobre o futuro do website considerando a tecnologia, o vício em informações e o caos que está imperando na internet atualmente (em inglês, tá?):

Futura Palestra: Branding e os Designers

29/09/2011

Quarta-feira, dia 05/10, vou dar uma palestra sobre branding e o papel dos designers na gestão de marcas, no evento Porto Alegre faz Design, Semana Acadêmica Integrada da UFRGS e a UniRitter. Vou discorrer sobre assuntos como branding, metodologia projetual adaptada à gestão de marcas e as táticas e estratégias para a construção de marcas no mundo contemporâneo, no qual a internet tem fundamental importância ao estabelecer relacionamento e conexões com o público.

A palestra começa às 18:10, no Auditório D da UniRitter: Rua Orfanotrófio, 555, Alto Petrópolis, Porto Alegre.

Mais informações: http://poafazdesign.wordpress.com/2011/09/29/branding/

Aparece lá! :)

Escrevendo no MassaCultural.com

07/06/2011

Pois é, gente! Como havia avisado no post anterior, comecei hoje minha participação no blog de design e inspiração MassaCultural.com, no qual falarei sobre Branding e Comunicação Estratégica na Internet. O post de recepção, que é basicamente uma entrevista, foi esse daqui: http://www.massacultural.com/2011/06/07/a-nova-equipe-massa-tem-felipe-caroe/

Após isso, escrevi meu primeiro artigo: Branding: Quem gerencia a marca?, que reflete sobre quais os profissionais mais adequados para realizar a gestão de marcas.

Claro que por motivos editoriais, só publicarei esse post aqui após algum tempo lá. Então, quem tiver interesse em conhecer, clica nos links acima. Dá pano pra manga para muita discussão :)

Aplicativo móvel para wordpress e outras noticias

24/05/2011

Oi, pessoal. Sei que o blog anda um tanto parado ultimamente, mas isso está para mudar! Fui convidado para escrever sobre branding, planejamento estratégico digital e outras cositas más, em um ótimo blog de comunicação e design. Depois eu conto qual é, pra não estragar a surpresa!

Além deste aviso, estou escrevendo também pra testar um aplicativo de Android especial para wordpress. So far, so good. Tem quase todas as opções da versão web, e é bem prático se você não se importa com o teclado mobile.

Pra conhecer, visite o Android Market e digite WordPress.

Entrevista 10 anos do Curso de Design CEFET-PE

22/03/2011

Há alguns meses foi aniversário do Curso Superior de Design Gráfico do IFPE/CEFET-PE, no qual sou graduado. Já não era mais estudante, mas alguns dos graduandos estavam fazendo pesquisas sobre designers formados na instituição.

João Gusmão, aluno, me entrevistou para uma revista comemorativa, e na época, não divulguei por motivos editoriais; tinha que esperar a revista ser publicada, né?

Reproduzo abaixo, pois foi uma boa lembrança quando encontrei o texto aqui guardado; mas também por que acho que o conteúdo é bem interessante. Hoje em dia ando um pouco afastado do design por conta do trabalho e da pós-graduação, ambos voltados à gestão da marca (embora a metodologia projetual seja a disciplina que mais me auxilia no processo de gestão), que vale muito à pena destacar os pontos discutidos.

Quando você decidiu fazer design gráfico?
Aos 16 anos, decidi fazer uma pesquisa com uns amigos universitários. Após alguns testes, fui assistir a uma aula de design na UFPE com uma amiga, e gostei bastante. Por sorte, era uma aula de design gráfico; apesar de admirar o desenvolvimento de um projeto de produto, o gráfico me cativou o bastante pra decidir cursar.

Foi difícil conseguir o 1º emprego?
Nem tanto; Eu já havia realizado diversos trabalhos como freelancer, além de dois estágios na área (web e promo). Com isso, meu portfólio e currículo já estavam bem avançados. Difícil foi escolhê-lo. Passei pelo C.E.S.A.R., Comunicação da Prefeitura de Olinda, e Agência Massa. Como era coordenador da Comissão Organizadora do 19º NDesign, escolhi, por fim, ser freelancer por algum tempo. Depois do evento eu pude procurar o que mais se encaixava, e hoje trabalho numa agência de marketing digital, a Casullo. (update: atualmente estou na Capella Design, no Rio Grande do Sul – update 2: Atualmente, abri minha própria agência de Criação de Estratégias para a Internet: PIPE | Estratégias Digitais)

O que faz a diferença no seu portfolio?
Como estou voltado à gestão de marcas na internet, o próprio portfólio é um case. Interatividade, padrões da web, otimização para sistemas de busca, um blog atualizado com notícias e projetos, e integração com redes sociais (twitter, youtube, flickr, RSS). Em termos de apresentação profissional, escolhi uns poucos projetos para demonstração, priorizando a qualidade sobre a quantidade. Acho que objetividade e facilidade de atualização são primordiais num projeto tão pessoal.

Todo designer tem sua referencias na hora de produzir, quais são as suas?
Várias mesmo. Todo dia, ao acordar, leio meus feeds de blogs variados; notícias sobre web, projetos de designers famosos; Enquanto referências de profissionais, admiro o trabalho de André Stolarski, da Tecnopop/RJ; Neville Brody, do Research Studios/UK; Banksy, artista urbano/UK; Seagulls Fly/RJ; entre vários outros. Por um tempo eu evitava referências, achando que ia desenvolver um estilo próprio. Hoje reconheço a importância de compreender o trabalho dos outros antes de definir o seu. Por isso minha mesa na agência e no home-office são repletos de Toys, livros e revistas de design. Tudo bem organizado, claro.

Você trabalha ouvindo música? Quais?
Muitas vezes preciso de concentração. Então não ouço nada, ou algo suave, como música clássica ou jazz. Quando posso ficar mais livre, geralmente no processo criativo, ouço algumas coisas mais pesadas como grunge, punk rock ou hard rock.

Como foi a experiência de ministrar o workshop Na Quebrada da Web, no 3º Encontro Estadual de Estudante de Design?
Eventos de design, principalmente os estudantis, são importantíssimos na formação de um designer. Tenho orgulho de dizer que fui pra sete deles, e aprendi coisas novas em cada um, além de fazer contatos no país inteiro. Já havia ministrado oficinas e mini-cursos em outros, mas o ÉDesign foi especial, pois sou um dos fundadores do evento aqui em Pernambuco. É ótimo compartilhar conhecimentos, iniciar discussões, fomentar a reflexão sobre aspectos que eu estudo e aplico no meu trabalho, e fazer isso num evento de design mostra que a gente contribui tanto quanto aprende nesses eventos.

O futuro do design é a web?
De jeito nenhum! Um dos fatores que agradam a maioria dos designers e estudantes é a própria versatilidade da profissão. Web, Identidade Visual, Promocionais, Editorial… Todas as ramificações do design gráfico são igualmente importantes para o mercado ou sociedade. É inegável, porém, que cada vez mais o desenvolvimento de interfaces para web tem se tornado uma área de bastante concentração dos profissionais recém formados, principalmente em Recife, por causa da efervescência tecnológica da cidade. Além disso, a web hoje em dia é o melhor ambiente para lidar com a sociedade, pelo seu alcance e interatividade.

Um bom designer deve ter ou ser:
Ser dinâmico, concentrado, versátil, curioso e sempre interessado em aprimorar suas habilidades. O dinamismo oferece a capacidade de encontrar soluções para as necessidades do público. A concentração serve para desenvolver e seguir uma metodologia de acordo com estas necessidades. Versatilidade para enfrentar e superar problemas diferentes. A curiosidade para estar sempre atento a todas as formas de desenvolver um projeto. E as habilidades obviamente devem ser sempre aperfeiçoadas.

Epipheo – Como a Internet mudou a propaganda

09/02/2011

Apesar do título, a grande sacada do filminho é, mais do que mostrar a mudança da propaganda por causa da internet, apresentar a empresa Epipheo Studios que desenvolve vídeos maravilhosos de divulgação de serviços da internet, com clientes como Google e Facebook. No site deles tem mais vídeos legais.

País das Maravilhas das Marcas

04/02/2011

Sugado do www.coletivonegobom.com :)

Um designer da agência russa PARADIGMA Communication Agency criou o joguinho das marcas duma forma inusitadas. Os logos estão disfarçados num “País das Maravilhas”.

Pra jogar, clique aqui: http://www.paradigma.ru/wonderland/

Estatísticas de Browsers no Brasil e no Mundo

28/12/2010

O StatCounter apresenta estatísticas de uso dos navegadores de internet no mundo, e funciona também dividido por região (continente, país, etc). Existem também estatísticas sobre sistema operacional, dispositivo (mobile, desktop), e existe até um cadastro de newsletters para que tu possas receber as novas informações mais polêmicas.

Abaixo, coloquei uma pesquisa dos navegadores dos últimos 12 meses (até novembro de 2010), no Brasil.

Fonte: StatCounter Global Stats – Browser Market Share

Listas de 2010

26/12/2010

Com o fim do ano se aproximando, todos os grandes blogs e sites de design e branding começam a fazer suas listas. Listas dos melhores projetos, melhores cases e até a lista dos melhores tutoriais de wordpress do ano. Então, aqui estou eu fazendo a minha lista de melhores listas de 2010!

São coletâneas dos sites WPBeginner, Webdesigner Wall, do próprio Twitter e da minha colega da pós em Branding, Dani Lazzarotto, o Orgia de Ideias, entre outros.

  1. Best of Design 2010 – Webdesigner Wall
  2. Best WordPress Tutorials 2010 – WPBeginner
  3. Top Twitter Trends 2010 – Twitter
  4. Top 10 Erros de Marketing 2010 – Mundo do Marketing
  5. Top Listas de 2010 – Orgia de Ideias
  6. Top 10 WebDesign Trends for 2010 (previstas em 2009) – DesignTutorials4U
  7. Top 10 Best Flash Sites of 2010 – eBiz
  8. Top 10 Most Popular Posts – Just Creative Design + Logo Designer
  9. Top 10 Student Mobile Apps – SocialBrite
  10. Top 10 Mobile Marketing Trends – Chaitrav

Você tem alguma lista que poderia estar aqui? :)

Novo site do coletivo NEGOBOM no ar

16/12/2010

Foi lançado recentemente o novo site (v2.0) do coletivo NEGOBOM de Design e Ilustração, do qual faço parte. Valorizando as ilustrações e a mescla do design (projeto) com a arte (emoção), a estética do site é bem chamativa e mesmo inusitada, a princípio :P

O coletivo foi uma iniciativa que tive com alguns amigos designers de trabalhar fazendo apenas aquilo que gostamos, principalmente no que se relaciona à ilustração e ao desenvolvimento de identidades visuais. Como o próprio manifesto do grupo aponta, a ideia é que o trabalho seja feito com prazer e confortavelmente, mas sem deixar de lado a responsabilidade.

Além das vantagens óbvias de se produzir em grupo, naquilo que se gosta e afins, o coletivo também favorece a união de ideias que podem interferir, de alguma forma positiva, na sociedade em que vivemos. Por isso mesmo que nossas intervenções são chamadas de Interferências. Os resultados devem causar uma quebra de paradigma, uma guinada na forma de ver as coisas.

Vale à pena conhecer o site do coletivo, principalmente se você tem interesse em projetos que foram feitos com carinho, vontade e doce. Doce? É, doce de banana. É isso que quer dizer Negobom. :)

Endereço: www.coletivonegobom.com

Relembrando TRON

28/10/2010

Tron de ’82. Preparando-me para o Tron LEGACY :)

Sinopse do Livro é matéria do JC -Pernambuco

18/08/2010

O projeto Sinopse do Livro, site de informações e dicas de leitura é destaque do caderno de informática do Jornal do Commércio, em Pernambuco. Desenvolvido por alunos do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, e com projeto gráfico e interfaces criados por mim, o site está na segunda versão e agora conta com várias funcionalidades, como a indicação de livros através de um sistema de perguntas básicas sobre o leitor.

Muito obrigado ao André e ao Rafael Carvalho, pela oportunidade de desenvolver um projeto tão interessante :)

Abaixo, tem um scan da matéria completa.

O óleo da BP manchou meu site

03/07/2010

Encontrei, através do site do Michel Lent, esta ótima ação de conscientização online. Para conscientizar os internautas dos perigos do uso do combustível fóssil, o escritório Mark&Phil, em parceria com a GreenerMedia, criou um sisteminha em flash que interage com teu site. O sistema publica uma div (camada) por cima da página e joga um flash com a animação de uma mancha de óleo cobrindo a tela. Clica aqui pra ver.

Uma apropriação interessantíssima do software[web] mais polêmico dos últimos tempos.

Ah, não roda no teu iPhone ou iPad (mas roda em outros aparelhos, tipo HTC :x ) ;)

A História da Internet

14/05/2010

“A História da Internet” é um documentário animado que mostra toda a timeline que a rede mundial de computadores percorreu até tornar-se o que é hoje, desde a ARPANET e outros sistemas de compartilhamento.

É um vídeo relativamente antigo. No entanto, escolhi para postar sobre por causa do desenvolvimento da animação: uma história contada usando a série de ícones conhecida como PICOL. Como estou no meio da produção de uma animação que também utiliza ícones predefinidos, achei legal utilizá-lo como referência, e por conseguinte, compartilhar com vocês.

Os créditos do vídeo estão no site dos seus produtores.

A Última Agência de Publicidade do Mundo

05/04/2010

Um filme catastrófico, trágico e com ar de suspense; mas apenas para as tradicionais agências de publicidade, que se apegam às mídias conservadoras. Absurdamente exagerado, mas apenas com o propósito de despertar uma reflexão acerca do modo como se divulga hoje em dia. Ah, e também para vender seu peixe, já que o vídeo foi produzido para o FITC (organização de eventos de design e tecnologia) pela Saatchi & Saatchi Canada.

CinenAZa exibido em Goiana – PE

27/03/2010

Texto por Amanda Ramos – Coordenadora do Cineclube Azouganda:

No dia 23 de outubro de 2009 acontecia na Praça da Catedral, no município de Nazaré da Mata, a primeira etapa do projeto CINENAZA – Mais Cultura em Nazaré da Mata, realizado pelo Cineclube AZouganda. Este primeiro momento consistiu na exibição do longa-metragem “Baile Perfumado” seguido do show da banda Ticuqueiros.

Durante a sessão e o show foi filmado um documentário que recebeu o mesmo nome do projeto e foi lançado no mês de novembro, acompanhado de debates, em duas escolas públicas do município.

Com direção de Cléber Amorim e Waston Ferreira, o curta-metragem CINENAZA – Mais Cultura em Nazaré da Mata começa neste mês de março a sua carreira em festivais e cineclubes. A primeira participação é no Festival Pernambuco Nação Cultural da Mata Norte, evento organizado pela Fundação de Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – Fundarpe – e que acontece em Goiana, município pernambucano vizinho a Nazaré.

Nesta noite de sábado (27) o nosso vídeo será exibido no histórico Cine Polytheama que, inaugurado em 1912, foi reaberto ontem e estava em estado de abandono desde 1982. As exibições no cinema estão sendo organizadas pelos nossos parceiros do Iapôi Cineclube, que atuam naquele município desde abril do ano passado.  A curadoria da mostra foi realizada pela Coordenadoria de Cinema e Vídeo da Fundarpe.

Palestra: Na quebrada da Web

26/03/2010

Não martirizem o título; Não tem a ver com uma nova banda de tecnobrega nem um bonde do designer. É simplesmente uma adaptação no nome de uma palestra sobre a famosa (e infame) Web 2.0 para o III Encontro Estadual de Estudantes de Design de Pernambuco, o ÉDesign³ PE.

Como o tema do evento era “Quebre o Cubo”, foi feito este trocadilho. Mas a apresentação em PDF a seguir está bastante esclarecedora, ótima para iniciantes, e traz um interessante exercício para os interessados em Design de Interface, sobre Usabilidade (U.X.) e Arquitetura da Informação (A.I.).

Espero que gostem:

Anuário do Art Directors Club de NY

21/03/2010

Fotos da visita do coletivo NEGOBOM ao anuário do Art Directors Club de NY no Plaza Shopping Casa Forte, em Recife, produzido pelo Clube de Criação de Pernambuco. (mais…)

Art Directors Club em Recife

09/03/2010

Visita ilustre e exclusiva de 100 peças publicitárias

A exposição do anuário do Art Directors Club de Nova Iorque (ADC/NY) está aberta ao público no Plaza Shopping Casa Forte desde hoje (08/03) até dia 19 deste mês. Nossa cidade foi escolhida para ser a primeira cidade do mundo, e única do Brasil a receber essa visita ilustre no ano de 2010.

As peças reunidas são as mais premiadas do ano passado (2009), e são categorizadas em mídia impressa, cartazes, pôsteres, design, e também projetos de fotografia e ilustração.

A mostra fica aberta no horário normal do shopping (12h às 22h de segunda a sábado, e 12h às 20h aos domingos), e é fruto de uma parceria entre o Clube de Criação de Nova Iorque e o Clube de Criação de Pernambuco, cujo site foi recém-inaugurado dando início também às atividades mais intensas, já que ele existe como um movimento há algum tempo.

Eu e Caio Martins, do coletivo NEGOBOM, vamos lá conferir neste sábado, e vou tirar umas fotos e preparar um post com minhas impressões.

Casullo procura webdesigners!

02/03/2010

A Casullo – Agência Interativa de Recife está contratando Designers de Interfaces Web, Webdesigners e/ou desenvolvedores de animações em Flash.

Eis os requisitos do profissional desejado:

  • Experiência de mercado, que esteja perto de se formar ou já formado.
  • Utilizar as ferramentas: Photoshop (avançado), Ilustrator (avançado) e/ou Corel (avançado), Flash (básico-intermediário) – principalmente para animação e interatividade, Dreamweaver (básico).
  • Noções gerais sobre: construção de páginas para web, novas tendências, frontend, Backend, HTML, conversão de arquivos (imagem ou vídeo).
  • Realizar projetos de Web, Design de interface, animação.
  • Saber ilustrar (desenhos)
  • Desejável: XHTML+CSS, Adobe After Effects, 3D Studio Max, Adobe Premiere

Então, pessoal, quem tiver interesse em tentar essa vaga, se cadastra neste link!

Les Dangereux

16/02/2010

Um ninja vai de férias a Paris e encontra o amor, mas é mais do que ele esperava. Ótimo filme, e apesar da super equipe, a maior parte do trabalho 3d foi desenvolvida por um único profissional: Daniel Klug.

Ficha Técnica:

Roteiro, Desenvolvimento, Animação, Sombras,
Iluminação, Composição, Modelagem e Direção: Daniel Klug
Artista Conceitual: Vicki Shively
Interface Adicional: Brett Stuart
Performance Musical: Alexa Sage
Edição Sonora: Marc Jackson of Moonlab Music
Efeitos Sonoros: David Guerrero
Sprites Originais: AnimationMentor.com

Feito no Maya 2009, MentalRay, e AfterEffects.
Tempo total de produção: 9 meses (diz algo? :P )

RedesSociais.br

10/02/2010

A Agência Click desenvolveu um vídeo para apresentar os últimos dados das Redes Sociais no Brasil. Informações valiosíssimas, como quantos usuários ativos de internet existem no país, e desses, quantos estão ativos em Redes Sociais como Orkut, Facebook, Twitter e outros. Ficou super criativo e dinâmico, de uma forma ótima pra quem quer criar argumento pros clientes!

Confira no vídeo abaixo (HD).

Ficha técnica:
Vice Presidente de Criação: Raphael Vasconcellos
Diretora de Criação: Juliana Constantino
Redação: André Pinheiro, Estêvão Queiroga
Direção de Arte: Diego Araújo
Direção de Vídeo: Steve ePonto
Edição: Fernando Colares
Animação: Fabrício Lúcio, Fernando Colares
Planejamento, Pesquisa e Concepção: Douglas Mello, Marina Pires
Locução: Estêvão Queiroga
Trilha e efeitos sonoros: Angels

Entrevista 7×1 do blog Massa Cultural

07/02/2010

O blog de Comunicação Massa Cultural tem uma sessão chamada 7×1, onde escolhem uma pergunta e selecionam 7 profissionais de áreas relacionadas para respondê-la.

A pergunta desta edição foi: Como você vê sua área de atuação daqui a 10 anos, e eu respondi dentro do conceito da comunicação e estratégia pra web.

Clica aqui e confere!

União Civil: Branding e Web

07/02/2010

Como diria  Gillespie (1998), a web pode ser comparada a um bazar ou mercado tumultuado na África ou Oriente Médio. Existem várias possibilidades de compra em meio a gritarias, confusões, e tendas adornadas. Uma enorme diversidade de preços é associada ao mesmo produto ou serviço, e muitas vezes os mais em conta (qualidade e custo) estão escondidinhos, lá por trás das barracas de especiarias.

Assim como em qualquer mercado físico, o virtual tem algumas regrinhas para que seu produto se sobressaia e chame a atenção do seu consumidor em particular. Logicamente, não basta segui-las para obter sucesso, embora cases de sucesso sejam bem-vindos ao ilustrar um projeto. O que dizer, por exemplo, das “inovações” da web?

5 Erros comuns no processo de Identidade Visual

07/02/2010

Listo aqui os 5 erros mais cometidos no processo de desenvolvimento de uma Identidade Visual, e algumas dicas de como evitá-los.

Baseado no artigo 10 Mistakes Logo Designers Can Make When Designing Logos, de Erik Peterson.

1 – Começar o processo de Design sem um objetivo explícito.

Calmamente, prepare-se: este é um passo importante para o desenvolvimento. Encontre-se com seu cliente, pergunte sobre seu negócio, quem são os maiores competidores, os objetivos de sua companhia, o foco, o público…

Não é necessário um encontro físico. Designers não tem tanto impedimento em trabalhar com clientes em outros estados do país, ou até no exterior. Mas com dedicação e o bom uso das tecnologias (e-mails, messengers), este encontro certamente será esclarecedor.

Dica: Tenha um modelo metodológico padrão, inclusive o briefing; mas sempre adapte-o ao cliente e suas necessidades. Não se perca no pragmatismo, nem em seu outro extremo, a espera pela inspiração.

2 – Projetar no vácuo.

Após ter uma documentação adequada, como o briefing e um bom e detalhado mapa mental, pesquise. Não pense que após a reunião você está por dentro do negócio. Não se empolgue, falta muito pra você conseguir transmitir todo o conceito do seu cliente. A internet é um bom meio de garimpar informação, e com certeza o mais prático. Mas não fique só nisso.

Pergunte a conhecidos, pratique sua percepção e relação social de modo a se posicionar como a própria marca. Não dependa apenas de pesquisas padrões. Vá a uma biblioteca, uma exposição, e, claro, procure os concorrentes, principalmente os mais fortes. Eles com certeza usaram soluções que você pode, no mínimo, aperfeiçoar.

Isso não é plágio, se você agir corretamente. Apesar de Ética ser um conceito mais que abstrato, no fim, você sempre deve saber a diferença entre imitação e referência.

Dica: Bancos de Imagens, pesquisas por assuntos e vídeo-comerciais no youtube são uma boa maneira de você entender como os concorrentes buscam encontrar o usuário. Depois procure as respostas e feedbacks sobre o que o usuário achou daquelas ações. O Youtube é ótimo neste sentido, devido aos comentários e às respostas de vídeo.

3 – Partir pro abraço cedo demais.

Em vez de imaginar – muitas vezes erroneamente – que já sabe do que se trata aquele briefing, não vá partindo pro computador pra desenhar a esmo. Em muitos casos, você pode até atingir um resultado estético atraente, e até quem sabe, conceitualmente adequado. Mas lembre-se: o desenvolvimento de uma Identidade Visual está muito atrelado ao Branding e ao Marketing, e partir pro levantamento visual antes de ter uma boa noção do projeto inteiro raramente dá certo. Então, get the whole picture, e desenvolva uma visão ampla.

Dica: Pergunte ao seu cliente, mesmo que informalmente, se ele tem interesse em divulgar sua marca em outras mídias. Se algum dia ele pretende partir pra televisão, apesar de no momento seu orçamento não permitir, tenha isso em mente, e finalize o projeto de uma forma que isso possa se tornar viável, e não uma dificuldade a ser contornada. Além de mostrar que você tem interesse em planejar o futuro daquela marca, o resultado pode ficar ainda melhor visualmente.

4 – Maquiar símbolo e tipografia pra esconder imperfeições.

Você não prencisa encher de sombras e relevos uma marca, para que ela se torne atraente. Nem usar zilhões de cores só para que ela torne-se uma marca extrovertida. “O computador é uma ferramenta útil, mas não vai transformar sua marca ruim em uma boa”. Trate de colocar em mente todas as possibilidades (item 3, acima) e começar a projetá-la da maneira mais simples, com o mínimo de floreios possível.

Dica: Você pode utilizar – com parcimônia – degradês e sombras em marcas que serão utilizadas predominantemente e meios digitais, mas não deixe de preparar as versões de uma ou duas cores, pras necessidades. Impressões em serigrafia, tipográficas, ou policromia, que encarecem à medida que as cores aumentam, vão exigir um bom jogo de cintura na hora de adaptar.

5 – Apresentação de propostas inadequadas.

Você já deve ter lido em algum lugar que, após digitalizar os rascunhos, e ficar com vários modelos, deve escolher no máximo três e apresentar ao cliente, pois mais que isso pode parecer que você não teve – ou usou – suas habilidades de designer pra se decidir. Prefiro ir além: Apresente apenas uma. Mesmo que você tenha dúvida sobre qual delas é a mais apropriada, faça um esforço, pergunte a colegas de escritório, sempre priorizando a discrição do projeto. O cliente provavelmente vai gostar de sua determinação e segurança ao apresentar um único modelo, que tenha sido vitorioso perante os demais.

Se você desenvolveu uma opção que preenche os requerimentos da marca, mas simplesmente não te agrada: não mostre. Pra que correr o risco do cliente escolher justamente aquela? Se existe essa possibilidade, evite-a. Futuramente, você pode se arrepender caso venha a trabalhar mais vezes com este projeto. E se não existe a possibilidade, é mais um motivo de não apresentar.

Dica: Guarde as demais opções. O cliente pode não se interessar pela proposta levada, e aí você já vai ter cartas na manga. Além disso, você pode perceber que sua idéia não serviu na hora das aplicações, e aí ficar numa situação embaraçosa. Neste caso, é melhor voltar à prancheta e procurar se alguma delas desempenha melhor este papel. Se sim, você não deve jogar fora a escolhida. Ao invés disso, analise onde elas divergem na aplicação, e tente adaptar os fatores à final.